quarta-feira, 27 de abril de 2011

HOMENS OU LOBOS?



vejam!
o que é esta malta
que ataca voraz?
parecem homens...
não...
humanos são civilizados,
possuem espírito, alma
não atacam com fúria
não arrancam as entranhas
das vítimas
homens não podem ser...

só podem ser lobos!
lobos esfaimados
sedentos, carnívoros...
da maneira que estraçalham,
retalham...
atacam mulheres jovens,
idosas, prenhes...
crianças
no doce sonho da infância!
são positivamente lobos!

longe os gritos,
gemidos torturantes...
noite de terror...

decepção,
são mesmo homens!



Angela Nassim

terça-feira, 26 de abril de 2011

O QUE É O DESTINO



Sozinha na minha casa, me peguei pensando no mistério que é destino 
Como é difícil e incerto. Daíencontrei este texto que fala exatamente disso:

O que é o destino

Muitas podem ser as respostas e teorias para o que costuma chamar-se de destino, até porque ninguém o pode comprovar, além de ter sido corrompido ao longo dos séculos por muitos mitos e crenças. Que destino existe ninguém pode negar, mas o se questiona é até que ponto o destino interfere nas escolhas humanas e, logicamente, o que ou quem controla o que chamam de destino.

Destino é algo que alguns acreditam e outros preferem simplesmente não acreditar, afinal é impossível para o homem que não sabe nem o porquê de sua existência, entender se o que acontece nesta sua existência é algo pré-determinado ou tudo depende de suas escolhas.

Uma pessoa pode planejar algo para sua vida, mas além da possibilidade do planejado não ocorrer, pode-se concluir também que foi o destino que fez com que ela planejasse aquilo! Para quem é criacionista e acredita que existe um único Deus supremo e que tem poder e controle sobre todas as coisas, conseqüentemente esta pessoa vai acreditar que é Deus que controla o destino. Mas e para quem é evolucionista ou para quem tem qualquer outra crença? Por este motivo que surgem tantas diferentes explicações, teorias e mitos para este mesmo tema.

O que falta a praticamente todas as pessoas é a capacidade de observar que tudo o que acontece é, necessariamente, causado por algo ou alguém. Ninguém estaria neste lugar que é conhecido por mundo se não houvesse um motivo, e ao criar-se este motivo criou-se junto o destino. Ou seja, se o ser humano existe, ele existe por um motivo, por um destino, mas ele não pode conhecer este motivo, pois em caso contrario este seu destino perderia o valor, seria invalidado.


Fonte: http://pt.shvoong.com/humanities/philosophy/504645-que-%C3%A9-destino/#ixzz1KbPoAORB

domingo, 24 de abril de 2011

A VELHINHA MAL HUMORADA




Quando uma velha senhora morreu na seção para o tratamento de doenças da velhice em uma pequena clínica perto de Dundee, na Escócia, todos estavam convencidos de que ela não havia deixado nada de valor.

Então, quando as enfermeiras verificaram seus poucos pertences, eles encontraram um poema. Sua qualidade e conteúdo impressionaram todas as pessoas, e todas as enfermeiras queriam uma cópia da mesma.

Uma delas levou uma cópia para a Irlanda.

A única herança que a velha deixou a seus sucessores foi publicado na edição de Natal da notícia da União para a Saúde Mental na Irlanda do Norte.

Então, esta velha senhora da Escócia, sem posses materiais para deixar ao mundo, é a autora deste poema “anônimo” que circula na Internet.

A Velha Rabugenta

Que vêem amigas?

Que vêem ?

Que pensam quando me olham?

Uma velha rabugenta

não muito inteligente

de hábitos incertos,

com seus olhos sonhadores

fixos ao longe?

A velha que cospe comida que não responde ao tentar ser convencida… “De, fazer um pequeno esforço?”

A velha, que vocês acreditam que não se dá conta  das coisas que vocês fazem e que continuamente
perde a sua escova ou o sapato ?

A velha,que contra sua vontade, mas humildemente lhes permite a fazer o que queiram, que me banhem e me alimentem
só para o dia passar mais depressa….

É isso que vocês acham?

É isso que vocês vêem? Se assim for, abram os olhos, amigas, porque isso que vocês vêem não sou eu!

Vou lhes dizer quem sou, quando estou sentada aqui, tão tranquila como me ordenaram…

Sou uma menina de 10 anos, que tem pai e mãe, irmãos e irmãs que se amam.

Sou uma jovenzinha de 16 anos. Com asas nos pés, e que sonha encontrar seu amado.

Sou uma noiva aos 20. Que o coração salta nas lembranças,

Quando fiz a promessa

Que me uniu até o fim de meus dias com o AMOR de minha vida.

Sou ainda uma moça com 25 anos.  Que tem seus filhos,

Que precisam que eu os guie…

Tenho um lugar seguro e feliz !

Sou a mulher com 30 anos. Onde os filhos crescem rápido,

E estamos unidos com laços que deveriam durar para sempre…

Quando tenho 40 anos.  Meus filhos já cresceram

E não estão em casa…

Mas ao meu lado está meu marido

Que me acalenta quando estou triste.

Aos cinquenta, mais uma vez comigo deixam os bebês, meus netos,

e de novo tenho a alegria das crianças, meus entes queridos junto a mim

Aos 60 anos, sobre mim nuvens escuras aparecem,

meu marido está morto; e quando olho meu futuro

me arrepio toda de terror.

Os meus filhos se foram, e agora tem os seus próprios filhos…

Então penso em tudo o que aconteceu e no amor que conheci.

Agora sou uma velha.

Que cruel é a natureza….

A velhice é uma piada. Que transforma um ser humano em um alienado.

O corpo murcha.

Os atrativos e a força desaparecem

Ali, onde uma vez teve um coração

Agora há uma pedra.

No entanto, nestas ruínas, a menina de 16 anos ainda está viva.

E o meu coração cansado, ainda está repleto de sentimentos

Vivos e conhecidos

Recordo os dias felizes e tristes

Em meus pensamentos volto a amar e a viver o meu passado.

Penso em todos esses anos, que foram, ao mesmo tempo poucos

Mas que passaram muito rápido,

E aceito o inevitável..

Que nada pode durar para sempre… por isso, abram seus olhos e vejam

Diante de vocês não está uma velha mal-humorada

Diante de vocês estou apenas “EU…”

Uma menina, mulher e senhora

Viva…!! E com todos os sentimentos de uma vida…

Lembrem deste poema da próxima vez que se encontrar com uma pessoa idosa mal-humorada


E não a rejeitem,

Sem olhar primeiro a sua Alma Jovem…

Você…. vai estar algum dia em seu lugar…

sábado, 23 de abril de 2011

MORRE-SE DA AMOR



Morre-se de amor. Também se morre dessa doença cruel e implacável, que a sociedade moderna criou e parece não estar muito preocupada em exterminar - o desprezo pelos outros.
Autor: Baptista-Bastos Tema: Desprezo
Fonte: Jornal de Negócios
Data: 20100108

sexta-feira, 22 de abril de 2011

quinta-feira, 21 de abril de 2011

PAIXÃO DE CRISTO EM PACATUBA-CEARÁ



Há 37 anos, o município de Pacatuba (minha terra natal), localizada a 30 quilômetros de Fortaleza, atrai muitos turistas durante a semana santa, já que ali é encenada uma peça sobre a Paixão de Cristo ao ar livre.
 Moradores se tornaram atores na encenação da Paixão de Cristo e são mais de duas horas de espetáculo, passadas numa cidade cenográfica formada por sete cenários e com 8 mil metros quadrados de área.

 As arquibancadas e camarotes acomodam, em média, 3 mil pessoas por dia. A organização do evento oferece infra-estrutura de qualidade com estacionamento, segurança, praça de alimentação e todo o conforto para a melhor acomodação do público. Montada com equipamentos de efeitos sonoros e iluminação, a viagem aos tempos da árida Judéia se torna a mais real possível.

O público também pode acompanhar a encenação por meio de quatro câmeras, que transmitem, simultaneamente, as cenas do espetáculo em seis telões, desde o martírio e morte até a ressurreição de Cristo. A excelência do espetáculo é garantida pelo trabalho de pessoas da comunidade, auxiliadas por técnicos, diretores e projetistas.
De tanto realismo e sucesso alcançado, a peça já entrou para o calendário turístico a nível estadual, o que representa um orgulho muito grande para todos os moradores de Pacatuba. Desde o figuro, aos técnicos de iluminação, maquiadores. São várias pessoas que se mobilizam durante a temporada de apresentações.
Ângela Guedes

quarta-feira, 20 de abril de 2011

SANTO EXPEDITO: AJUDA IMEDIATA


Em agradecimento ao Santo expedito que já me escutou e me auxiliou vou postar sua oração no meu blog.
Seguramente Santo Expedito é um Santo que podemos invocar com toda confiança nos "casos urgentes",
Agradecida pelo resto de minha vida propagarei seu nome e sua oração a todos os que tiverem fé.
Oração ao Poderoso Santo Expedito

Meu Santo Expedito das causas justas e urgentes interceda por mim junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo, socorra-me nesta hora de aflição e desespero, meu Santo Expedito Vós que sois um Santo guerreiro, Vós que sois o Santo dos aflitos, Vós que sois o Santo dos desesperados, Vós que sois o Santo das causas urgentes, proteja-me. Ajuda-me, Dai-me força, coragem e serenidade. Atenda meu pedido (Fazer o pedido). Meu Santo Expedito! Ajuda-me a superar estas horas difíceis, proteja de todos que possam me prejudicar, proteja minha família, atenda ao meu pedido com urgência. Devolva-me a paz e a tranqüilidade. Meu Santo Expedito! Serei grato pelo resto de minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé.

Muito obrigado.

(Rezar um Pai Nosso, e uma Ave Maria e fazer o sinal da cruz)



O dia de Santo Expedito, protetor das causas urgentes, foi comemorado ontem (19 de abril). Acredito  que o Santo Expedito  auxilia na solução de problemas difíceis e presta socorro a quem necessita de ajuda urgente.

Santo Expedito é considerado o santo dos negócios que precisam de pronta solução.

NÂO SEI QUANTAS ALMAS TENHO



Não sei quantas almas tenho.

Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não atem calma.

Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu.


Fernando Pessoa

domingo, 10 de abril de 2011

Escritora dá dicas de como ser uma mulher poderosa e conseguir um marido




Pense bem: você é uma diva ou um capacho? Pelas regras da escritora Sherry Argov, no livro "Por que os homens casam com as mulheres poderosas?" (ela também escreveu o best seller "Por que os homens amam as mulheres poderosas?", de 1997), se você está infeliz no amor e sendo enrolada por alguém que não consegue se comprometer, está na hora de deixar de ser boazinha e tomar as rédeas da situação.
Em uma reportagem para o jornal "Daily Mail", a escritora dá dicas do que fazer ou não fazer para encontrar o amor e conseguir um compromisso, inclusive quebrando alguns mitos. Não é preciso ser perfeita, por exemplo, porque os homens não casam com as perfeitas e sim com as interessantes - as perfeitas são um pouco entediantes. Siga os conselhos de Sophia Loren: "beleza é como você se sente por dentro e isso é refletido nos olhos, não é uma coisa física".
Segundo a autora, tudo o que os homens fazem é para impressionar as mulheres - seja ir à Lua, se tornar uma estrela da música ou dirigir um carro bacana. O Taj Mahal foi construído para uma mulher. Os brinquedos, as casas, os ternos são desenhados para impressionar uma mulher. Que tal ser esta mulher? Veja as dicas:
Não seja boazinha: os homens raramente apreciam uma mulher que concorda com tudo e acham que você deve ser assim com qualquer um.
Seja você mesma: diga o que você gosta de fazer e de comer, seja autêntica.
Pegue leve: comporte-se deixando claro que gosta dele mas não está assim tão interessada em fisgá-lo. Não faça o papel da namorada tão cedo. Ele vai baixar a guarda e vocês vão continuar saindo.
Não pule na cama dele: não há nada mais valorizado por um homem do que aquilo que ele tenha que esperar.
Não pergunte: quando você começar com 'o que temos juntos?', 'onde a relação está indo?' e 'você quer ter filhos?' ele começará a arquitetar um plano de fuga.
Faça-o vir atrás de você: homens querem se sentir no controle. Tudo o que você tem que fazer é ser feminina e agradável. Não mencione a palavra 'compromisso'. Quanto menos você falar, mais chegará perto disso.
Mantenha distância: ele não pode sentir que você estará sempre por perto. É assim que se transforma um telefonema chato em um evento excitante.
Mostre que você tem outras opções: se ele achar que você pode ir embora a qualquer momento, a relação estará segura.
Mostre admiração: quando ele der algum presente, mostre apreciar a beleza do gesto, não apenas do ponto de vista material.
Saiba quando sair: coloque seus próprios limites e tempos e saia quando achar que está na hora.
Ame sua vida como ela é: aproveite cada dia, seja positiva. Não há nada mais atraente para os homens.
A pagina em http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mulh...
 Publicada em 04/04/2011 às 14h56m

Definitivo


Definitivo, como tudo o que é simples.
Nossa dor não advém das coisas vividas,
mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos
o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções
irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado
do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter
tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que
gostaríamos de ter compartilhado,
e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas
as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um
amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os
momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas
angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo
confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma
pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez
companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um
verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida
está no amor que não damos, nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do
sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional...

Carlos Drummond de Andrade