quinta-feira, 24 de outubro de 2013

"PREFIRO A MÚSICA PORQUE ELA OUVE O MEU SILÊNCIO E AINDA TRADUZ SEM QUE EU PRECISE ME EXPLICAR."

NON, je ne Regrette Rien de
Édith Piaf




Non ... rien de rien ...
Non ... je ne regrette rien
Ni le bien qu'on ma fait,
Ni le mal - tout ça m'est bien égal!

Non ... rien de rien ...
Non ... je ne regrette rien
C'est payé, balayé, oublié,
Je me fous du passé!

Mes Avec lembranças
J'ai allume le feu,
Mes Chagrins, mes plaisirs,
Je n'ai mais besoin d'eux!

Balayé les amours
Avec leurs trêmulos
Balayés despeje toujours
Je repars à zéro ...

Non ... rien de rien ...
Non ... je ne regrette rien
Ni le bien qu'on ma fait,
Ni le mal - tout ça m'est bien égal!

Non ... rien de rien ...
Non ... je ne regrette rien
Ma vie Car, mes carro joies,
Aujourd'hui, ça começar toi avec!


                                                                    

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

FILHOS SÃO DO MUNDO!!!




Devemos criar os filhos para o mundo. Torná-los autônomos, libertos, até de nossas ordens. A partir de certa idade, só valem conselhos.
Especialistas ensinaram-nos a acreditar que só esta postura torna adulto aquele bebê que um dia levamos na barriga. E a maioria de nós pais acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede de sofrer quando fazem escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou quando eles próprios sofrem pelas escolhas que recomendamos.
Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado..
Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo! Então, de quem são nossos filhos? Eu acredito que são de Deus, mas com respeito aos ateus digamos que são deles próprios, donos de suas vidas, porém, um tempo precisaram ser dependentes dos pais para crescerem, biológica, sociológica, psicológica e emocionalmente.
E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento? Não deveriam retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice? Pensar assim é entender os filhos como nossos e eles, não se esqueçam, são do mundo! Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo para os filhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não fossem apenas empréstimo! Mas é. Eles são do mundo. O problema é que meu coração já é deles.
Santo anjo do Senhor...
É a mais concreta realidade. Só resta a nós, mães e pais, rezar (orar) e aproveitar todos os momentos possíveis ao lado das nossas 'crias', que mesmo sendo 'emprestadas' são a maior parte de nós!!!

(ENCONTREI ESTE TEXTO NA INTERNET SEM INDICAÇÃO DO AUTOR)