quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

OS OMBROS SUPORTAM O MUNDO (SENTIMENTO DO MUNDO, 1940)


Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.
Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.
Pouco importa venha velhice, que é a velhice?
Teus ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação.
*Carlos Drummond de Andrade

domingo, 18 de novembro de 2012

sábado, 17 de novembro de 2012

O PESO!!!








Minha alma tem o peso da luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros.

– Clarice Lispector –



domingo, 14 de outubro de 2012

ACONTECEU COM DE CHICO XAVIER!!!

UMA DÍVIDA PAGA PELO ALTO...
José, o irmão de Chico, que fora por muito tempo seu orientador e dirigia as sessões do "Luiz Gonzaga", adoece gravemente, e, sob a surpresa de seus caros entes familiar, desencarna, deixando ao irmão o encargo de lhe amparar a família. Dias depois, o Chico verifica que o José lhe deixara também uma dívida, pois se esquecera de pagar a conta da luz, na importância de onze cruzeiros. Isto era muito para o pobre Médium, pois no fim de cada mês nada lhe sobrava do ordenado. Pensativo, sentou-se à soleira da porta de sua casinha rústica e abençoada. Emanuel lhe diz: Não se apoquente, confie e espere... Horas depois, alguém lhe bate à porta. Vai ver. Era um senhor da roça. - O senhor é o seu Chico Xavier? - Sim. Às suas ordens, meu irmão. - Soube que seu irmão José morreu. E vim aqui pagar-lhe uma bainha de faca que ele me fez há tempos. E aqui está a importância combinada. Chico agradeceu-lhe. E ficando só, abriu o envelope. Dentro estavam onze cruzeiros... Para pagar a luz. Sorriu, descansado, livre de um peso. E concluiu para nós: - "Que bela lição ganhei". E nós: - Também para os que sabem olhar para os lírios dos campos, que não temem o amanhã, porque sabem que ele pertence a Deus.
Texto de Ramiro Gama.

LENDA (PARA HOMENS E MULHERES)




O jovem Rei Arthur foi surpreendido pelo monarca do reino vizinho enquanto caçava furtivamente em um bosque. O Rei poderia tê-lo matado no ato, pois tal era o castigo para quem violasse as leis da propriedade, contudo se comoveu ante a juventude e a simpatia de Arthur e lhe ofereceu a liberdade, desde que no prazo de um ano trouxesse a resposta a uma pergunta difícil.

A pergunta era: - O QUE REALMENTE AS MULHERES QUEREM?

Semelhante pergunta deixaria perplexo até ao homem mais sábio, e ao jovem Arthur lhe pareceu impossível de respondê-la. Contudo aquilo era melhor do que a morte, de modo que regressou a seu reino e começou a interrogar as pessoas. À princesa, à rainha, às prostitutas, aos monges aos sábios, ao palhaço da corte, em suma, a todos e ninguém soube dar uma resposta convincente. Porém todos o aconselharam a consultar a velha bruxa, porque somente ela saberia a resposta. O preço seria alto, já que a velha bruxa era famosa em todo o reino pelo exorbitante preço cobrado pelos seus serviços.

Chegou o último dia do ano acordado e Arthur não teve mais remédio senão recorrer à feiticeira. Ela aceitou dar-lhe uma resposta satisfatória, com uma condição, primeiro aceitaria o preço. Ela queria casar-se com Gawain, o cavaleiro mais nobre da távola redonda e o mais íntimo amigo do Rei Arthur!

O jovem Arthur a olhou horrorizado: era feíssima, tinha um só dente, desprendia um fedor que causava náuseas até a um cachorro, fazia ruídos obscenos... nunca havia topado com uma criatura tão repugnante. Se acovardou diante da perspectiva de pedir a um amigo de toda a sua vida para assumir essa carga terrível. Não obstante, ao inteirar-se do pacto proposto, Gawain afirmou que não era um sacrifício excessivo em troca da vida de seu melhor amigo e da preservação da Távola Redonda.

Anunciadas as bodas, a velha bruxa, com sua sabedoria infernal, disse: - O que realmente as mulheres querem é: SEREM SOBERANAS DE SUAS PRÓPRIAS VIDAS!!!

Todos souberam no mesmo instante que a feiticeira havia dito uma grande verdade e que o jovem Rei Arthur estaria salvo. Assim foi ao ouvir a resposta, o monarca vizinho lhe devolveu a liberdade. Porém, que bodas tristes foram aquelas... toda a corte assistiu e ninguém se sentiu mais desgarrado entre o alivio e a angústia, que o próprio Arthur. Gawain, se mostrou cortês, gentil e respeitoso. A velha bruxa usou de seus piores hábitos, comeu sem usar talheres, emitiu ruídos e um mau cheiro espantoso.

Chegou a noite de núpcias. Quando Gawain, já preparado para ir para a cama aguardava sua esposa, ela apareceu como a mais linda e charmosa mulher que um homem poderia imaginar! Gawain ficou estupefato e lhe perguntou o que havia acontecido. A jovem lhe respondeu com um sorriso doce, que como havia sido cortês com ela, a metade do tempo se apresentaria com aspecto horrível e a outra metade com aspecto de uma linda donzela.

Então ela lhe perguntou qual ele preferiria para o dia e qual para a noite? Que pergunta cruel, ... Gawain se apressou em fazer cálculos... Poderia ter uma jovem adorável durante o dia para exibir a seus amigos e a noite na privacidade de seu quarto uma bruxa espantosa ou quem sabe ter de dia uma bruxa e a uma jovem linda nos momentos íntimos de sua vida conjugal.

O que vocês o teriam preferido? ... o que teriam escolhido?

A escolha que fez Gawain está mais abaixo, porém antes tome sua decisão.

É MUITO IMPORTANTE QUE SEJAM SINCEROS COM VOCÊS MESMOS.

????
????

????

?????

?????

????

????
????

?????

?????

O nobre Gawain respondeu que a deixaria escolher por si mesma. Ao ouvir a resposta, ela anunciou que seria uma linda jovem de dia e de noite, PORQUE ELE A HAVIA RESPEITADO E PERMITIDO SER DONA DE SUA VIDA.

Moral da história!

Não importa se a mulher é bonita ou feia, no fundo sempre é uma bruxa!



(Autor desconhecido)

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

LOUCURA

 Frase Linda de Raul Seixas.

VINAGRE DE MAÇÃ





Um alimento que traz vários benefícios a nossa saúde e não é muito conhecido é o vinagre de maçã. Ele aumenta o metabolismo, ajuda em infecções, emagrece e ainda pode ajudar na diabetes tipo 2.
Para fins mais específicos, seguem as dicas extraídas do livro de Jarvins:
Infecção de garganta: pode-se utilizar uma colher de vinagre em um copo de água morna para fazer gargarejos.
Para emagrecimento: duas colheres de chá de vinagre em um copo de água morna antes das refeições.
Dores de cabeça: vaporização com vinagre. Coloca-se em uma vasilha água com vinagre, na proporção 50% de cada e ferve-se. Quando iniciar o vapor, deve-se aspirar aproximadamente 75 vezes.
Uma das características do vinagre de maçã é o aumento do metabolismo do corpo, o que ajuda no emagrecimento e eliminação de toxinas que ingerimos com a nossa alimentação, frequentemente rica em produtos químicos. Outra característica é que, com a eliminação das toxinas do nosso corpo e o uso do vinagre, há um maior desenvolvimento de habilidades extra-sensoriais.

O vinagre de maçã deve ser usado diariamente, seja em saladas ou diluído em um copo d’água. Seus benefícios vão muito além dos citados, mas o principal é como forma de prevenção de várias doenças e, no caso das que já estão instaladas no organismo, pode trazer alívio ou até a eliminação.


domingo, 2 de setembro de 2012

5 ATITUDES PRA FAZER DE VOCÊ UM CAVALHEIRO MODERNO




Hoje em dia, ser cavalheiro se tornou sinônimo de ser brega, ou antiquado, mas você já se perguntou o que é ser um cavalheiro de verdade?

De acordo com o dicionário, um cavalheiro é um homem de sentimentos e ações nobres. Parece fácil, não? Mas, hoje em dia, ser cavalheiro envolve muito mais que sentimentos nobres. Envolve atitudes.

Pra muitos, abrir a porta pra ela, puxar a cadeira e ajudá-la a tirar o casaco são atitudes que há muito foram esquecidas. Mas essas não são necessariamente as únicas atitudes cavalheirísticas a se tomar. Afinal, ser cavalheiro é agir com respeito e dignidade em qualquer situação.

As armadilhas da vida moderna são muitas e é muito fácil sucumbir à tentação e se tornar um ogro sem nem perceber, seja atendendo o celular no meio de um jantar romântico, ou ignorando que ela talvez precise de uma mãozinha pra sair do carro num evento mais formal cuidando assim do seu cabelo e vestido.

Mas qual é o limite entre cavalheirismo e condescendência? Até onde ir? Aqui vão algumas dicas básicas para ser um cavalheiro moderno:

- Coloque-se sempre no lugar do outro. É mais fácil ser gentil quando se tem empatia, e se pode identificar com a pessoa.

- Procure sempre oferecer apoio a quem parece precisar de ajuda. Sempre pense como você poderia facilitar a vida do outro. Mas é importante não esperar nada em troca, pois você nem sempre vai ouvir um "muito obrigado" ou ganhar tapinhas no ombro só por ter agido como cavalheiro.

- Seja natural e casual a respeito de suas atitudes. Ser cavalheiro deve ser parte de quem você é e não algo que você deva alardear.

- Trate-a como se ela fosse o seu centro de gravidade. Seja atencioso, confiante e relaxado, e a mulher que está com você irá aproveitar o tempo que passam juntos e respeitá-lo mais por isso. Vai além do mero interesse, aja como se sua própria existência dependesse das próximas palavras que ela proferir.

- Quando estiver com uma mulher, NUNCA, em hipótese alguma, seja agressivo, quer com palavras, quer com ações. Agressão nunca é aceitável.

Outras atitudes de cuidado e preocupação como segurar a porta para ela passar, ligar pra saber se ela chegou bem em casa e oferecer seu braço a ela enquanto caminham são atitudes que mostram você como um verdadeiro cavalheiro.

Um cavalheiro está sempre preocupado em deixar a sua personalidade transparecer com coragem e honra em qualquer situação. Tenha isso sempre em mente e seja um cavalheiro do século XXI.


(ENCONTREI ESTE TEXTO NA INTERNET SEM INDICAÇÃO DO AUTOR)

domingo, 12 de agosto de 2012

BOA SEGUNDA-FEIRA!!!

                                                        Imagem divademontalban.com


Segunda-feira, ó segunda-feira. Como diria a canção, é dia de feira. Quarta-feira, quinta-feira, não importa a feira. Dia do recomeço, o recomeçar, o reiniciar, o retomar, o refazer, o ressoar, o repetir, o reconquistar.
Segunda-feira, o povo te clama. Segunda-feira, o povo te chama, ó segunda-feira. Dos dias da semana, em termos de reclamação, não és a segunda: és a primeira. Mas a reclamação é a aclamação, a redenção, a glorificação da importância que tens perante este cabedal de dias sucessivos.
Segunda-feira, ó segunda-feira, por que és tão cruel? Por que trazes de volta todas as preocupações, as tristezas, as derrotas de cada dia, acabando com tanta frieza com o final de semana, que, por mais tedioso que seja, consegue ser melhor que a semana que se discorre.
A quem tem que te enfrentar ó segunda-feira, desejo sorte. Mais que sorte, desejo força. Mais que força, desejo vontade. Vontade para ter força e a sorte de conseguir vencer o mal que você representa para que alcance a glória que aguarda o vencedor ao final da semana.
A todos que leram esse texto motivacional, fica o voto de uma boa sorte para uma boa segunda-feira. Você vai precisar...
Desconheço a autoria do texto.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

DINHEIRO


 Ensinamento Chinês

 
“Ele pode comprar uma casa, mas não um lar.
  Ele pode comprar uma cama, mas não o sono.
  Ele pode comprar um relógio, mas não o tempo.
  Ele pode comprar um livro, mas não o conhecimento.
  Ele pode comprar um título, mas não o respeito.
  Ele pode comprar um médico, mas não a saúde.
  Ele pode comprar um sangue, mas não a vida.
  Ele pode comprar o sexo, mas não o amor.”

quarta-feira, 18 de julho de 2012

FUMO






Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas,
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!

Meus olhos são dois velhos pobrezinhos
Perdidos pelas noites invernosas...
Abertos, sonham mãos cariciosas,
Tuas mãos doces, plenas de carinhos!

Os dias são Outonos: choram... choram...
Há crisântemos roxos que descoram...
Há murmúrios dolentes de segredos...

Invoco o nosso sonho! Estendo os braços!
E ele é, ó meu Amor, pelos espaços,
Fumo leve que foge entre os meus dedos!...

*Florbela Espanca batizada como Flor Bela de Alma da Conceição Espanca, foi uma poetisa portuguesa. A sua vida, de apenas trinta e seis anos, foi plena, embora tumultuosa, inquieta e cheia de sofrimentos íntimos que a autora soube transformar em poesia da mais alta qualidade, carregada de erotização, feminilidade e panteísmo.



*Raimundo Fagner interpretando o poema de Florbela Espanca

domingo, 15 de julho de 2012

DEIXE DE SER QUEM ERA, E SE TRANSFORME EM QUEM É.



Sempre é preciso saber
quando uma etapa chega ao final.

Se insistirmos em permanecer nela
mais do que o tempo necessário,
perdemos a alegria
e o sentido
das outras etapas que precisamos viver.

Encerrando ciclos,
fechando portas,
terminando capítulos,
não importa o nome que damos.
O que importa é deixar no passado
os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedido do trabalho?
Terminou uma relação?
Deixou a casa dos pais?
Partiu para viver em outro país?
A amizade tão longamente cultivada
desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo
se perguntando por que isso aconteceu.
Pode dizer para si mesmo
que não dará mais um passo
enquanto não entender as razões
que levaram certas coisas,
que eram tão importantes e sólidas em sua vida,
serem subitamente transformadas em pó.

Mas tal atitude
será um desgaste imenso para todos:
seus pais, seu marido ou sua esposa,
seus amigos, seus filhos, sua irmã...
Todos estarão encerrando capítulos,
virando a folha,
seguindo adiante,
e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo
no presente e no passado,
nem mesmo quando tentamos
entender as coisas que acontecem conosco.

O que passou não voltará:
não podemos ser eternamente meninos,
adolescentes tardios,
filhos que se sentem culpados
ou rancorosos com os pais,
amantes que revivem
noite e dia
uma ligação com quem já foi embora
e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam
e o melhor que fazemos
é deixar que elas realmente possam ir embora.

Por isso é tão importante
(por mais doloroso que seja!)
destruir recordações,
mudar de casa,
dar muitas coisas para orfanatos,
vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível
é uma manifestação do mundo invisível,
do que está acontecendo em nosso coração
e o desfazer-se de certas lembranças
significa também abrir espaço
para que outras tomem o seu lugar.
Deixar ir embora.
Soltar.
Desprender-se.
Ninguém está jogando
nesta vida com cartas marcadas.
Portanto, às vezes ganhamos e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo,
não espere que reconheçam seu esforço,
que descubram seu gênio,
que entendam seu amor.

Pare de ligar sua televisão emocional
e assistir sempre ao mesmo programa,
que mostra como você sofreu com determinada perda:
isso o estará apenas envenenando
e nada mais.

Não há nada mais perigoso
que rompimentos amorosos que não são aceitos,
promessas de emprego
que não têm data marcada para começar,
decisões que sempre são adiadas
em nome do "momento ideal".

Antes de começar um capítulo novo
é preciso terminar o antigo:
diga a si mesmo que o que passou,
jamais voltará.

Lembre-se de que houve uma época
em que podia viver sem aquilo,
sem aquela pessoa...
Nada é insubstituível,
um hábito não é uma necessidade.

Pode parecer óbvio,
pode mesmo ser difícil,
mas é muito importante.

Encerrando ciclos.
Não por causa do orgulho,
por incapacidade, ou por soberba.
Mas porque simplesmente
aquilo já não se encaixa mais na sua vida.

Feche a porta,
mude o disco,
limpe a casa,
sacuda a poeira.

Paulo Coelho (O Globo - 22/08/04) 

segunda-feira, 9 de julho de 2012

RECEITA PARA ESQUECER UM AMOR!!!


Escultura de Antônio Canova, Beijo do Cupido (Louvre)


Para esquecer um amor
não é preciso sofrer,
nem é preciso chorar,
amor é corpo sem rosto,
que você mascara a seu gosto
e põe o nome que quer.
Troque o rosto,
troque o nome,
e terás outra paixão,
motivo de novo alento,
nova esperança e ilusão,
e, de repente descubra,
que o novo amor conquistado,
tem o mesmo gosto e perfume,
mesma malícia e ciúmes,
daquele amor do passado!

(ENCONTREI ESTE POEMA NA INTERNET SEM INDICAÇÃO DO AUTOR)

"PREFIRO A MÚSICA PORQUE ELA OUVE O MEU SILÊNCIO E AINDA TRADUZ SEM QUE EU PRECISE ME EXPLICAR."

Para Viver Um Grande Amor


Cantado
Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Falado
Para viver um grande amor, preciso
É muita concentração e muito siso
Muita seriedade e pouco riso
Para viver um grande amor
Para viver um grande amor, mister
É ser um homem de uma só mulher
Pois ser de muitas - poxa! - é pra quem quer
Nem tem nenhum valor
Para viver um grande amor, primeiro
É preciso sagrar-se cavalheiro
E ser de sua dama por inteiro
Seja lá como for
Há de fazer do corpo uma morada
Onde clausure-se a mulher amada
E postar-se de fora com uma espada
Para viver um grande amor

Cantado
Eu não ando só,
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Falado
Para viver um grande amor direito
Não basta apenas ser um bom sujeito
É preciso também ter muito peito
Peito de remador
É sempre necessário ter em vista
Um crédito de rosas no florista
Muito mais, muito mais que na modista
Para viver um grande amor
Conta ponto saber fazer coisinhas
Ovos mexidos, camarões, sopinhas
Molhos, filés com fritas, comidinhas
Para depois do amor
E o que há de melhor que ir pra cozinha
E preparar com amor uma galinha
Com uma rica e gostosa farofinha
Para o seu grande amor?

Cantado
Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Falado
Para viver um grande amor, é muito
Muito importante viver sempre junto
E até ser, se possível, um só defunto
Pra não morrer de dor
É preciso um cuidado permanente
Não só com o corpo, mas também com a mente
Pois qualquer "baixo" seu a amada sente
E esfria um pouco o amor
Há de ser bem cortês sem cortesia
Doce e conciliador sem covardia
Saber ganhar dinheiro com poesia
Não ser um ganhador
Mas tudo isso não adianta nada
Se nesta selva escura e desvairada
Não se souber achar a grande amada
Para viver um grande amor!

Cantado
Eu não ando só
Só ando em boa companhia
Com meu violão
Minha canção e a poesia

Vinicius De Moraes e Toquinho

sábado, 23 de junho de 2012

"PREFIRO A MÚSICA PORQUE ELA OUVE O MEU SILÊNCIO E AINDA TRADUZ SEM QUE EU PRECISE ME EXPLICAR."

Palavras!!!






Não, tente me enganar
Vejo em seu olhar
que já não existe
Aquele mesmo amor
que nunca esperou
Acabar tão triste.

Não tente me dizer
palavras que eu
Já não acredito
Eu posso compreender
o que restou de um amor
Que foi tão bonito.

Eu fiz daquele amor
o meu sonho maior
Minha razão de tudo
Foi pouco o que restou
De tanto que existiu
Recordações e nada mais.
o que restou, recordações
e nada mais

Não, não vá me dizer
palavras que venham
Me fazer chorar depois
Eu sei que vou viver
Por muito tempo ainda
Das lembranças de nós dois.

Roberto Carlos



segunda-feira, 18 de junho de 2012

TENTE OUTRA VEZ!!!




Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!...

Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!...

Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça aguenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!...

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!...

Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!...

Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!...

Sem dúvidas, Tente Outra Vez é uma das mais lindas músicas de Raul Seixas.


terça-feira, 12 de junho de 2012

TEMPO QUE FOGE!!!



Madonna (Edvard Munch)


Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora. Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas. As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades. Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados. Não tolero gabolices. Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos. Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos para reverter a miséria do mundo. Não vou mais a workshops onde se ensina como converter milhões usando uma fórmula de poucos pontos. Não quero que me convidem para eventos de um fim-de-semana com a proposta de abalar o milênio.
Já não tenho tempo para reuniões intermináveis para discutir estatutos, normas, procedimentos parlamentares e regimentos internos. Não gosto de assembléias ordinárias em que as organizações procuram se proteger e perpetuar através de infindáveis detalhes organizacionais.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas, que apesar da idade cronológica, são imaturos. Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de “confrontação”, onde “tiramos fatos à limpo”. Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário do coral.
Já não tenho tempo para debater vírgulas, detalhes gramaticais sutis, ou sobre as diferentes traduções da Bíblia. Não quero ficar explicando porque gosto da Nova Versão Internacional das Escrituras, só porque há um grupo que a considera herética. Minha resposta será curta e delicada: – Gosto, e ponto final! Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: “As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos”. Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos.
Já não tenho tempo para ficar dando explicação aos medianos se estou ou não perdendo a fé, porque admiro a poesia do Chico Buarque e do Vinicius de Moraes; a voz da Maria Bethânia; os livros de Machado de Assis, Thomas Mann, Ernest Hemingway e José Lins do Rego.
Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana; que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita para a “última hora”; não foge de sua mortalidade, defende a dignidade dos marginalizados, e deseja andar humildemente com Deus. Caminhar perto dessas pessoas nunca será perda de tempo.
Soli Deo Gloria.



Faço minhas as palavras de  Ricardo Gondim. Um texto que diz exatamente o que penso.
Para maior esclarecimento sobre o autor clique no link abaixo.