quarta-feira, 7 de julho de 2010

ESTILOS DE SAUDAÇÃO

Um dos primeiros passos para se travar conhecimento com alguém está no cumprimento. Este momento delimitado por segundos pode dizer muito de si e da forma como deseja receber o outro. Um aperto de mão forte, olhar nos olhos e ser delicado podem ser cartões-de-visita valiosos uma promissora relação, pessoal ou profissional. 
APERTO DE MÃO

“O aperto de mão surgiu na Antiguidade para mostrar a alguém que não se portava arma. No seu significado mais antigo e lendário, um aperto de mão era a forma pela qual um deus concedia seu poder a um dirigente terrestre. Isso está gravado em diversos hieróglifos egípcios, em que o verbo “dar” é representado por uma mão estendida. Os historiadores e folcloristas acreditam que o aperto de mão seria um gesto de boa vontade: o homem primitivo, que andava sempre armado, estendia a mão, vazia, para mostrar a alguém que não portava armas e desejava a paz. Por essa razão, as mulheres, que não carregavam armas, tampouco tinham o hábito de apertar as mãos”.
 DÁ UMA CURVADINHA

Abaixar o corpo é a forma de cumprimento mais tradicional do Japão desde o século 8. Pode parecer simples, mas o ato de curvar-se em reverência, chamado de ojigi, é cheio de significados. Dependendo de como é feito, pode apontar o grau de importância tanto de quem é cumprimentado quanto de quem cumprimenta. Também é necessário trocar palavras apropriadas durante a saudação, e por isso não é raro que dois japoneses, ao se encontrar, façam cinco ou seis reverências enquanto conversam. Essa demonstração de respeito é tão importante que os nipônicos se curvam mesmo quando falam ao telefone.
REVERENCIA COM AS MÃOS

Usado principalmente na Índia, mas também em outros países asiáticos, o famoso Añjali Mudra pequena reverência com as mãos juntas do peito – pode ser feito em silêncio ou acompanhado da palavra namaste, que em sânscrito significa “O Deus que existe em mim saúda o Deus que existe em você”
 TCHAU

O velho e bom tchauzinho é um dos gestos mais comuns no mundo, sendo utilizado para cumprimentar de longe, em momentos rápidos, ou, ainda, ao se despedir de alguém. Acredita-se que sua origem seja parecida com a do aperto de mão, como demonstração de que a galera está desarmada
ALOHA!

Aloha em havaiano significa carinho, amor, paz, compaixão e misericórdia. Atualmente popularizado pela galera do surfe, em geral o shaka ou hang loose é feito junto com uma balançadinha da mão. No Havaí, diz-se que o gesto surgiu com um cara chamado Hamana Kalili, que perdeu os três dedos do meio num moedor de açúcar e, com isso, seu aceno de mão passou a ter apenas o polegar e o mindinho. Surfistas e crianças simpatizaram com a coisa e, em pouco tempo, já era uma tradição no país, se espalhando pelo mundo
 SINAL DE AMOR

O cumprimento ILY surgiu a partir da língua dos sinais de deficientes auditivos nos EUA, onde significa I Love You. Mas ele só espalhou mesmo como uma saudação corriqueira, nos EUA e Canadá, a partir do final dos anos 60, quando foi adotado pela galera hippie do paz e amor.”
 LEVANTAR A ABA DO CHAPÉU

A saudação em que se levanta dois dedos até certa altura da cabeça teve sua origem na corte de Luís XIV, conforme o estatuto social do interlocutor. Se fosse um homem importante, havia que se levantar o chapéu, para uma dama, retirá-lo completamente e para alguém de classe social inferior, apenas era necessário tocar na aba do chapéu.
CONTINÊNCIA

A origem exata da continência é incerta. Sabe-se que o cumprimento é usado como sinal de respeito, sempre com caráter militar, há séculos. A teoria mais aceita é que ela tenha surgido durante a Baixa Idade. “O cavaleiro levantava o visor do elmo para que outra pessoa o identificasse como amigo ou como membro do mesmo grau de cavalaria”, afirma o comandante Antonio Luiz Porto e Albuquerque, ex-professor de História Naval da Escola Naval, no Rio de Janeiro. “Ainda hoje, a saudação é feita olhando para a pessoa cumprimentada, identificando-a como parte das organizações defensoras do Estado.”
 JOÍNHA!

O dedão para cima é outra saudação quase universal. Mas o joínha” já teve outro significado ao longo da história. Na Antiguidade, por exemplo, representava desaprovação. Há até uma polêmica em torno de seu uso no Coliseu, em Roma. Em vez de um sinal para poupar a vida de um gladiador, alguns estudiosos dizem que platéia usava o dedão para cima quando queria a morte pela espada, escondendo o dedão caso quisesse salvar a pele do cara
BEIJO NA FACE

O popular beijinho na bochecha é comum em vários países, cumprimento que consiste em um meio abraço acrescido de um beijo simulado no lado esquerdo da face, podendo ser repetido no lado direito.Geralmente os homens não usam esta saudação entre si. Porém, em diversas regiões, como na Argentina e na Federação Russa, muitos homens também trocam beijinhos quando se encontram.
(Este artigo é o resultado da minha pesquisa na net)

Postar um comentário