domingo, 18 de janeiro de 2009

COLECCIONADOR DE QUIMERAS


Quando as minhas angústias

começam a morder-me

ponho-lhes a trela

saio à rua a passeá-las

e deixo-as ladrar

ao tédio transeunte.

Depois ponho-lhes asas

e deixo-as voar

como pássaros

em busca de primaveras

imprevisíveis.

António Tomé

(Poeta de Moçambique)
Postar um comentário