quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

PRECE



Esta é a minha prece a Ti, meu Senhor,
Com raízes em meu coração:
Dá-me força para sofrer minhas alegrias
E tristezas.
Dá-me força para tornar frutífero
Meu amor em Teu serviço.
Dá-me força de não fugir nunca ao pobre
E de não dobrar os joelhos
Ante o poder insolente.
Dá-me força para elevar minha mente
Acima das pequenezas da vida diária.
E dá-me força para sujeita-la
=C0 Tua Vontade, com todo amor.
Não me deixes rogar para pôr-me
A salvo dos perigos,
Mas para encará-los sem temor.
Não me deixes implorar para que
Se aliviem minhas penas,
Mas para que meu coração possa vencê-las.
Não me deixes aliados
No campo de minhas batalhas,
Mas que possa eu fiar-me
Em minhas próprias forças.
Não me deixes que, ansioso temor,
Deseje salvar-me,
Mas que obtenha a paciência
Para ganhar meu reino.
Conceda-me a graça de que eu
Não seja covarde,
Que não só sinta Tua ajuda
Em minhas vitórias,
Mas que também possa achar
A doce pressão
De Tua mão
Em meus fracassos.

(Sir Rabindranath Tagore (1861-1941) foi poeta, contista, dramaturgo e crítico de arte hindu. Nascido em Calcutá, seu pensamento abriu novos caminh os à interpretação do misticismo, procurando atualizar as antigas doutrinas religiosas nacionais. Recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1913. Suas principais obras poéticas foram O Jardineiro, O Carteiro do Rei e Pássaros Perdidos)
Postar um comentário