sábado, 15 de novembro de 2008

SUICÍDIO DA RAZÃO


Poema lindo, tocante, que evidencia a sensibilidade da escritora.

Recomendo aos amantes das coisas boas da vida.

A obsessiva lucidez

me aborrece;

sou capaz de afundar num riosonhos e fantasias.

Porém se atiro à água

o meu olho,

ele bóia – e fita o mundo.

E me investiga.

Volta a sensação nítida

– e ela incomoda um bocadinho –

de que eu sinto apenas saudadede algo que nunca existiu.

Vou pegar minha lucideze enterrá-la na areia.

Depois me sento por cima

como já fiz à minha vida.

Rina Bogliolo Sirihal
Postar um comentário