sábado, 11 de julho de 2009

QUERO VOAR




Quero voar
-mas saem da lama
garras de chão
que me prendem os tornozelos.

Quero morrer
-mas descem das nuvens
braços de angústia
que me seguram pelos cabelos.

E assim suspenso
no clamor da tempestade
como um saco de problemas
-tapo os olhos com as lágrimas
para não ver as algemas...

Mas qualquer balouçar ao vento me parece Liberdade.
José Gomes Ferreira
Reflexivo poema
As vezes queremos tantas coisas, principalmente nos libertar das amarras e voar. Mas nossa liberdade é relativa e nem sempre depende só de nós, por isso nossos versos são como válvula de escape que nos permitem sonhar e ir além.
bjs
Postar um comentário