terça-feira, 23 de junho de 2009

A PALAVRA DESAPARECEU


Rugas delineiam minha face carregada pelo tempo.
Resignei-me, ignorando o chamado do meu sentimento, que não sei traduzir.
Uma espada corta e divide minha alma.
Meus pensamentos confusos eternizam figuras preenchendo a imaginação
Quando a noite vem me perco no conflito que me imponho.
Não consigo esquecer dos momentos felizes que hoje são saudades
A palavra desapareceu no silêncio de um fecho.
Resta apenas o eco do que não pode ser.
Ângela Guedes
Postar um comentário