quarta-feira, 6 de maio de 2009

ENTRELINHAS


Fica nas entrelinhas a água das lágrimas
Que bebi com as dores do passado.
Quero delinear um futuro,
E não dormir mais com a dor.
Vou seguir em frente...
Não sei se estou perto ou longe demais
Se estou na direção certa ou errada.
Tanto faz, já peguei mesmo a contramão
E, mesmo que tudo não ande da forma que eu gostaria,
Vou transformar os anseios em palavras,
Secar a lágrima na penumbra da esperança
Varrer o desânimo...
Fazendo, versos
Que minha alma sopra.
Ângela Guedes
Postar um comentário