sábado, 18 de abril de 2009

CHÃO REGADO DE FRAGÂNCIA


No meu silencio,
Acumulo sentimentos e
Procuro controlar meus temores.
Ninguém sabe a minha agonia,
Ninguém sabe os mistérios que me encobrem.
Quando o meu ar estiver no fim,
Depositarei os meus medos
No chão regado de fragrância
Matinal
Para o seu caminhar.
Angela Guedes
Postar um comentário