terça-feira, 28 de abril de 2009

PALAVRAS


Preciso me livrar das incoerentes palavras
Palavras mal-ditas, que ficam para sempre,
Como espectros ferindo o sentimentalismo
Palavras soltas, atiradas, despedaçadas.
Palavras que foram ouvidas e que
Deveriam ser esquecidas
Preciso adquirir a consciência
Do desvairo que é o destino
Da fragilidade da alma
Da força das palavras
Saber distinguir pelo melindre.
O que pode ser palavras.
Por pontos e vírgulas
Mesmo sem a frase esta concluída.
Ângela Guedes
Postar um comentário